Pular para o conteúdo principal

Ser Avós Hoje

Os avós sempre desempenharam um papel muito importante no âmbito familiar,tanto que frequentemente os estudiosos os consideram valiosa ajuda para superação dos conflitos geracionais.São realmente eles a constituirem uma base segura a partir da qual se pode projetar verso o futuro.Convencida de tal idéia era a psicanalista Melanie Klein que afirmava que a figura dos avós ofereceria uma proteção afetiva menos exigente e dramática que aquela dos pais,dando subsídios significativos para a construção de um mundo interior bom e gratificante.
Entretanto,é válido perguntar se os avós constituam ainda hoje importante figura de referimento num mundo tão mudado,onde as famílias se tornaram tão diversificadas,feitas de pais,filhos,avós,tios,conviventes casados,substituindo assim a tradicional família nuclear,muitas vezes composta apenas por um único filho e um dos pais.Aparecendo nesse cenário uma sociedade pouco satisfatória,seja para os mais velhos,seja para os mais jovens,difundindo-se certo mal estar e desorientação para cada um.Resultando que cada indivíduo se feche em si mesmo, se isolando e ficando cada dia menos disposto a colocar-se no lugar do outro.
Então,qual seria hoje o papel daqueles que alguns psicológos e estudiosos modernos definiram como os novos avós?
Logicamente que na aparência são distantes anos luz daqueles velhinhos de qualquer século atrás,de cabelos brancos e xale nos ombros.Hoje,também por conta da notável longevidade,os avós continuam a ter uma posição muito ativa no seu dia a dia,seja trabalhando ainda remuneradamente,seja fazendo viagens,indo às academias de dança e ginástica,fazendo cursos vários como informática,línguas,enfim, até no modo de vestir é possível perceber por exemplo, em alguns certa emulação com os netos adolescentes.E, se não nos detivermos apenas na aparência,perceberemos que,na maior parte dos casos,entre netos e avós sobrevive uma relação única e irrepetível.São exatamente estes últimos que,talvez por conta da disponibilidade maior de tempo livre,sabem propiciar às crianças um ambiente favorável ao melhor crescimento e desenvolvimento delas. Andei lendo que segundo uma pesquisa recente feita pela Universidade de Roma a moçada entre os sete e quatorze anos de idade descrevendo os próprios avós,teve sempre uma opinião muito positiva sobre eles.
Dessa forma a função dos avós pode ser considerada aquela de representar uma continuidade temporal entre as várias idades da vida,tecendo e fortalecendo o fio invisível que liga uma geração a outra,a fim de nos lembrar que somos todos participantes de uma grande árvore onde cada membro-raízes,caule,folhas,flores e frutos têm uma função fundamental!
Entretanto,avós não nascem ao acaso,assim como pais,mas podem se tornar.apreendendo algumas características e habilidades que nem sempre como seres humanos e imperfeitos somos fornidos.Duas que considero fundamentais e que tenho percebido principalmente nos períodos de convivência entre meus pais e os netos queridos seja quando vêm aqui ou quando vamos passar as férias no Brasil:uma forma de regressão doce e feliz,que permite ao avô de deixar de lado a rigidez de seu caráter pessoal para entrar no mundo fantástico dos pequenos. Tenho visto neles,mas em outros avós conhecídos também a disposição de entrar no jogo das crianças sem nenhum preconceito ou juízo de valor.Ridículo é uma palavra que não existe para essa turminha.Mecânicos,manicure,soldado,e tantas mais...Não apenas para satisfazer a vontade dos netos de brincar,mas na maioria das vezes são eles mesmos que deixam transparecer essa vontade sincera de se divertirem,permitindo-se espontaneamente esse ingresso no mundo da imaginação e fantasia.
O segundo e provavelmente mais difícil requisito a ser alcançado nessa missão de ser avós é a capacidade e vontade de querer continuar a aprender.Aceitando quem sabe até uma lição dos menorzinhos,pois são eles que,ainda se encontram livres das formalidades,frases feitas e lugares comuns,podendo nos ensinar a olhar o mundo com olhos diferentes,dando-nos a energia e a coragem para recomeçar,reconhecendo a força e o poder do afeto,do desejo e não aquela da mera conveniência. Basta observar o número de avós que,como meus pais,  hoje em dia se lançam no mundo  das tecnologias virtuais a fim de melhor se comunicarem com os netos fisicamente distantes e juntos realizam coisas incríveis neste campo do conhecimento também.
Assim sendo,ser avós não quer dizer substituir os pais na educação das crianças,mas ajudá-los a perceber o valor que cada um tem no contexto familiar,gozando desse dom que a natureza nos ofereceu,contando muito mais a qualidade que as horas passadas juntos.


Comentários