Pular para o conteúdo principal

Nossos deveres e obrigações

Não são palavras sinônimas,mas estão muito relacionadas.O dever pressupõe a obrigação,mas ainda assim tem sentido diferente.
O dever nos é imposto por lei,pela moral,pelos costumes.A obrigação resulta dele.Por isso mesmo é que temos o dever de acatar a lei no seu sentido lato,e que surge a obrigação de respeitá-la.O dever constitui um termo abstrato,que parece indefinível,mas que paradoxalmente todos parecem compreender.Intuitivamente todos o conhecemos.Pode ser aferrado se bom ou mal pelos princípios normativos das ações praticadas.As que nos aproximam do Alto são sempre boas por serem condizentes com a moral,as outras se afastaram de tal objetivo,tornando-se censuráveis.Assim, obrigação  só pode decorrer do 'bom dever'.Isso todo mundo sabe.
Sempre existiu contudo,a intenção do homem fraudar a lei para esquivar-se a sua obediência.Dada desordem social todos invocam direitos,mas esquecem dos deveres e obrigações.O conhecimento do dever traz consequências pela noção de responsabilidade.Quem não cumpre um dever,ignora o senso da obrigação.O dever e a obrigação coexistem em todos os atos da vida privada,pública,social e religiosa.Quando admiramos alguém por suas boas qualidades é justamente porque essa pessoa cumpre bem os seus deveres e obrigações,dentro e fora de casa.
É bom repassar mentalmente no final do dia de que maneira cumprimos as nossas obrigações,e se a consciência,nosso único juiz,endossar o que fizemos ou deixamos de fazer,então estaremos certos e contentes pelo dever cumprido.Felizes os que ao chegarem ao fim da jornada da existência  puderem contemplar,sem tristeza,olhando para traz,os anos vivídos no bom cumprimento do dever!
Acredito que tudo o que fizermos de errado,por ação ou omissão,nos será um dia cobrado e teremos que pagar onde,como e quando só Deus sabe.O desrespeito do dever acarreta situações indesejáveis:quem abusa da saúde,do poder,do dinheiro,da juventude,da confiança,de tudo enfim,acaba perdendo o que possuía e pagará por sua incúria e imprevidência.
Tudo passa na vida,menos a paz do senso íntimo que perdura aqueles que a fizeram por merecer.Esforcemo-nos por bem cumprir os nossos deveres com a nítida idéia da responsabilidade relativa às obrigações deles decorrentes.
Certo,só assim poderemos construir melhor o nosso mundo interno o que sem dúvidas repercutirá também no outro.
           *Diante de tudo que tenho lido  nos jornais e revistas,principalmente  a respeito do  tema  'Eleições Políticas' 

Comentários

✿ chica disse…
Teus textos sempre lindos,temas corretos e verdadeiros! Muito bom, aprendemos te lendo!! beijos,chica
Georgia disse…
Bergilde, o ser humano tem muitas fases. O bom dessas fases é que elas transformam o ser humano. Uns para melhor e outros permanecem no mesmo estado.

Muito bom teu texto.

Grande beijo
Élys disse…
Concordo plenamente com oque escreve, mas a instabilidade do ser humano, ainda o faz errar muito. Aos poucos a humanidade vai evoluindo e um dia, creio, todos saberão cumprir os seus deveres e obrigações.
Um abraço, amiga.
Majoli disse…
Bergilde, um texto que nos diz muito, abordas de forma ímpar.
E lá vamos nós, seres humanos imperfeitos, tentando sempre aprender e dessa forma quem sabe caminhar para o melhor.
Com certeza começando pelo nosso interior, teremos muito mais para compartilhar.

Tenha um delicioso dia.
Meu carinho.
Beijos.
Maria João disse…
Bergilde

Não há direito ao qual não esteja associado um dever correspondente. É esse o segredo de uma cidadania responsavel e consciente.
Proclamar direitos sem ter a noção que à liberdade e dignidade individual se junta o direito de todos os que connosco co-habitam neste mundo, e que isso representa para nós um dever, é uma forma tão nascísica de viver que desumaniza e fere a própria dignidade humana.

Excelente texto!!

Um beijinho
Anne Lieri disse…
Bergilde,adoro suas cronicas e como seria bom se cada um tivesse consciencia de seus próprios deveres,especialmente homens publicos!bjs e boa semana!
EDER RIBEIRO disse…
Bergilde, a desobediência aos deveres advém da necessidade imediatista do lucro imediato em todas as ações. Como vc bem dissi, a cobrança vem de algum modo. Bjos.
Luís Coelho disse…
O dever e a obrigação são a mesma coisa.
Não existe nenhum dever que não tenhamos obrigação de cumprir.
O respeito pelos outros e pelos princípios éticos são deveres com obrigação de cumprimento.
Uns cumprem e fazem a sua vida uma luz para o mundo outros mesmo sabendo do valor de todos os princípios passam ao lado e não sentem obrigação de nada - os egoístas.
Mona Lisa disse…
Deveres e obrigações andam interligados.

Direitos iguais implicam obrigações e deveres.É uma questão de ética, nem sempre cumprida.

Beijos.
Cia do Grafite disse…
Olá,Bergilde!Parabéns por seus textos bem descritos,aquí em seu espaço...Sucesso crescente à vc! Uma hora dessas retorno p/acompanhar outras linhas!
Abraço e até+!
Bom dia! Teu trabalho é rico...
Parabens pelo blog.
Avante.
Abraços
Sinval