Pular para o conteúdo principal

Consolação

Consolar exprime sentimento de amor ao próximo:enxuga lágrimas dolorosas,conforta o ânimo abatido,balsamifica dores da alma,alenta o coração amargurado,levanta o moral do sofredor.
Entretanto, eu diria que saber consolar verdadeiramente é quase uma arte.
O consolador precisa haver dentro de si o verdadeiro compadecimento pelo consolado,identificando-se com o sentimento que prova o outro,procurando-o na justa oportunidade,ouvindo-o com atenção e lhe dirigindo palavras afetuosas e confortantes, com discrição e atenção ao desabafo daquele que está ali sofrendo,não necessariamente tendo que falar,mas simplesmente demonstrando interesse através do olhar,do toque das mãos,um abraço,mostrando que está ali disponível,presente.É bem a idéia de tentar colocar-se no lugar do outro ,todavia,visto a nossa indiviualidade egocêntrica, pode não ser assim tão simples o quanto parece.Tendemos a querer sair logo dando conselhos sem a paciência para escutar a pessoa ao lado.E,se simples visita de cortesia não produz nenhum efeito,imaginem só um sms pronto copiado da Internet?É sim, vivemos em tempos modernos onde a pressa e a indiferença  prevalecem até mesmo nas relações humanas.Ninguém pode sentir-se desoprimido com expressões vazias de afeto.Para consolar é necessário também encontrar-se em estado de espírito apropriado para compartilhar do alheio sofrimento.Isso não depende de ser especialista profissional ou religioso,mas basta apenas uma coisa,uma coisa que carece nas nossas vivências hodiernas:Saber Ser Amigo.
A mão que ajuda hoje poderá ser aquela que precisará de auxílio no dia de amanhã,porque tudo na vida tem alternativa.Não se pode é ficar parado diante do sofrimento alheio.A bíblia ensina em inúmeras passagens que fazer o bem rende feliz não apenas a quem está recebendo,mas também em quem o faz sinceramente e de bom coração."Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados." Mateus 5:4.Essa bem-aventurança do Evangelho alcança também aos consoladores bem intencionados pela graça da compaixão divina.
Não nos esqueçamos portanto que consolar os tristes imprime grande obra de misericórdia e não percamos as ocasiões para demonstrar que somos capazes de dar Amor!