Pular para o conteúdo principal

Bonita por ser única

Janeiro passado completei 39 anos de vida  mas não é a idade que corre o motivo de mais esta reflexão e sim o que tenho observado tanto no meio televisivo das famosidades como também no ambiente comum de minha convivência.
Atualmente há uma tendência,quase propensão frenética das mulheres a procurarem o auxílio do 'botox' para tentarem evitar os sinais do tempo. Sem a menor preocupação ou curiosidade acerca desse elemento.Simplesmente vendo uma foto de uma celebridade prendem interesse e vontade de ter aquele mesmo aspecto físico não medindo esforços,incluindo os econômicos, porque os métodos estéticos são realmente muito caros para alcançar aquela finalidade de beleza perfeita(inalcançável).
Não nego que isso também me deixa perplexa.Quanta fragilidade,quanto mal talvez tenham passado na vida que,para se sentirem amadas devam procurar parecer a imagem de outra pessoa,violentando a própria autenticidade. A nossa sociedade é impiedosa,superficial e ditada por falsos modelos de representação que procuram continuamente o prazer sem conhecer  na verdade o que  é mais importante para o bem viver.
Aparência sim,mas não substância(acho que já escreví sobre isso anteriormente).Porém,se são estes os ditames do momento é quase inevitável que as pessoas se tornem mesmo vazias sem a especificidade que as distinguem umas das outras.Sim,é verdade que a beleza é importante,mas para mim vale mais aquela do coração!
Acredito que uma pessoa não deve ser apreciada,notada entre as demais pelo que veste,pelo tamanho do seio,da boca,do bumbum.Não consigo conceber a idéia de que alguém mesmo interiormente não estando convicto de determinada ação ou posição deva fazer simplesmente para dar gosto ao gosto do outro,sem respeitar a si mesmo, nem ser estimado na própria identidade.
Percebe-se o quanto sou contrária ao uso do bisturí estético por fins consumísticos,das injeções botulínicas,e de tudo aquilo que invade a minha natureza física de demonstrar o passar da minha existência terrena.Em casos de graves má-formações, de acidentes com graves sequelas,absolutamente é de grande suporte físico e psíquico.Fora isto não vejo porque se deva interromper o percurso de nosso envelhecimento.  
No meu ponto de vista não há comparação entre um rosto marcado pela experiência e emoção,com todas as rugas que tem direito e aquele tão liso como o de uma boneca todavia completamente impessoal.Prefiro a vida verdadeira aquela que se mascara por ser incapaz de aceitar a realidade. É a força da personalidade que vence a frieza da perfeição.
Quem pensa em mudar de rosto deveria antes de mais nada  se autoavaliar,prestando atenção se é uma vontade própria,uma necessidade interna ou se é somente pra satisfazer  um condicionamento social.
Finalmente, tudo depende daquilo que construimos dentro de nós,É a luz do coração que ilumina a nossa face.Sempre e em qualquer idade.
**********************************Respeito a quem logicamente pensa diversamente.

Comentários

✿ chica disse…
Como tu, respeito que faz uso desses artifícios Mas, nunca fiz, nem farei, pois já fui obrigada a fazer tantas cirurgias que, para mim, CIRURGIA nem passa pela cabeça. Nem injeções, botox que ficam como se estivessem engessadas, beiçudas,rs...

Pra mim, não quero isso! beijos,escreveste muito bem! chica e parabéns pelos 39!!!
Anne Lieri disse…
Bergilde,está tão bonito seu blog!Gostei de sua reflexão e confesso que tb não gosto de ver as caras todas iguais das atrizes que fazem plástica,usam botox,essas coisas.A Regina Duarte por exemplo,ficou transfigurada...ela era tão bonita com as primeiras rugas!Muito gostoso te visitar e agradeço seu carinho comigo tb!bjs,
Edna Lima disse…
Muito bom o texto.
Estamos vivendo numa era de inveja coletiva, todos querem ser igual a todo mundo.
A fulana fez ,quero fazer também...
Conteúdo interior poucos tem.
Beijos.Edna
EDER RIBEIRO disse…
Bergilde, penso q aqueles q se volta ao materialismo, se nutre dela para se afirmar e esquece q o corpo é temporal, o espírito não, assim, perde uma oportunidade de evoluir-se. Bjos.
Mamãe Nádia disse…
Hoje é Valentine's Day aqui no Canadá, e estou passando pra deixar um abraço carinhoso para as minhas amigas blogueiras mais queridas!
Sinta-se abraçada por mim nessa quinta-feira!!
Beijos!

www.asosmamaenadia.com
Mariazita disse…
Obrigada, muito obrigada, minha amiga, pelos seus parabéns lá na minha «CASA». O seu apoio e carinho também tem ajudado a que ela (ele, blog...) se tenha mantido de pé.

Gostei de seu texto. Há bastante tempo (foi pouco depois de ter iniciado o meu blog) escrevi sobre este mesmo tema, e nossas opiniões são muito semelhantes.
Para mim é muito mais importante a beleza interior, mas, enfim, não somos todos iguais - e ainda bem, senão o mundo seria muito monótono :)

Até sempre. Beijinhos
Tucha disse…
Cada vez mais observamos uma sociedade do para sempre jovem, como se o bisturi e a agulha do botox pudesse nos tornar "aceitos", "queridos" e envelhecer fosse trágico. Mas já há um movimento de mulheres que estou expondo orgulhosamente suas arquiteturas do tempo (rugas).
Ano que vem, entra nos chamados "enta" e tudo fica como antes...É deixar o tempo passar, sem a preocupação com as mudanças naturais.
Estou feliz, com as rugas e os cabelos brancos, nos meus "set enta"...Dizem que estou linda, quem nem pareço ter essa idade: "que cabelo lindo!", é o que mais ouço rsrs..Vou acreditando!

Texto maravilhoso, Bergilde. Parabéns, pelos tr"inta" e nove!
Um abraço.
Georgia Aegerter disse…
Bergilde, o problema que vejo é com o meio que a pessoa vive. Há pessoas que vivem num mundo de estrelato mesmo nao sendo uma estrela.
Há aquelas que só cuida do exterior enquanto o interior é cheio de rugas...a geracao do botox é uma geracao de aparecencias. Assim como no Facebook, e em muitas redes sociais. Há uma febre nessa geracao onde ser bela e magra é tudo.

Boa semana

Ótimo texto.

Bjos
AC disse…
Uma reflexão lúcida, sem dúvida, de alguém que apreendeu valores bem mais profundos que a simples imagem.

Beijo :)
Olá!
Faz muito tempo que não vinha aqui!
Este texto, escrito por uma jovem de 39 anos, é um testemunho magnífico de quem pensa maduramente na vida . A realidade do tempo que passa e deixa marcas, mas também experiência e sabedoria. A futilidade de alguns que "tentam tapar o sol com a peneira", não conduz a nada. Parabéns!Concordo em absoluto. Boa semana
M. Emília