Pular para o conteúdo principal

Será só competição ou pura inveja mesmo?

Dizem que a competição é algo impessoal,inconsciente e contínuo,sendo assim um ingrediente fundamental para o melhor desempenho da própria profissão. Há autores de livros motivacionais para o trabalho que até a consideram uma espécie de remédio contra o comodismo pois constringe a certos comportamentos autocríticos e que conduzem a um máximo empenho por parte do profissional.Pessoalmente percebo que nem sempre é dessa forma que acontece na vida prática.
*Uma breve reflexão tentando explicar o que penso sobre o assunto:
No termo competição noto algumas nuances que se não forem bem elaboradas podem gerar inveja suficiente para tirar a luz da alma,criando mal-estar ou mesmo sentimentos como insatisfação pessoal e incompetência.Causando tamanha inquietação capaz de revelar o lado pior de cada pessoa.  
Há gente disposta a tudo a fim de esmagar o talento de quem quer que possa ameaçar o sucesso ou evidenciar a sua incapacidade. Acho que todos já conhecemos alguém mais ou menos assim e não estou recordando daqueles personagens de romances ou novelas.Há chefes que usam a artimanha de colocar os colegas uns contra os outros a fim de poderem comandar melhor(os famosos grupinhos).Mas,agindo dessa maneira desviam em mil frações as energias  e os esforços que poderiam servir para a realização de um bom trabalho de equipe necessário para o alcance de objetivos mais amplos e melhores para todos.Sem falar que onde não há respeito pelo outro e valorização de suas capacidades,as tensões são inevitáveis.Nesse sentido a palavra competição cede espaço a uma outra chamada conflito que é bem pessoal,consciente e intermitente,distinguindo claramente o próximo não mais como  um colega ou amigo e sim um alvo,objetivo a superar,derrotar.("Eu sou melhor,eu posso mais do que ele(a)! Por que ele(a) sim e eu não?...Vamos ver quem vai se dar melhor?")
Todavia,(podem rir de mim porque sou mesmo assim),sou convencida de que o encontro com o outro possa significar antes de qualquer coisa uma oportunidade de crescimento para cada um,um incentivo a desenvolvermos aquilo que de melhor temos dentro de nós.Seguindo as nossas próprias capacidades e quem sabe unindo-nos a quem também vise os mesmos ideais e interesses ,podendo juntos construir algo decisamente mais belo e melhor.
Certamente no discurso isso é bonito e muito mais fácil do que na realidade de todos os dias:se soubessem quantas vezes eu já tenha me sentido ferida ou machucada por conta de  ciúmes(vocábulo que uso ao invés de inveja pois ainda não consigo ver alguém com o significado de ser invejoso da minha pessoa,afinal que rei/rainha sou eu sem reinado e sem coroa?),e estúpida competição! Qual foi minha reação?
Silêncio. Tenho visto que  com o silêncio exprimimos muito mais e melhor que com tantas palavras,e em certas situações também com um sorriso.Por isso me sinto em posição de afirmar que para mim não vale à pena responder às provocações,estas servem somente a quem está em busca de atenção.Quem realmente é capaz não usa jogos ou estratégias desleais pois é consciente do que sabe e pode fazer,ao contrário daquelas 'pessoas pequenas' que estão prontas a tudo sem minimamente hesitar uma situação de conflito,alimentando com isso os próprios recalques de egoísmo criando única e exclusivamente confusão em torno a si mesmas. É interessante como me vem nessas horas   em mente sempre aqueles preciosos conselhos de minha mãe,como um que diz que o mal não leva a nada,ou saiba em quem confiar.Sim,o importante é diligentemente buscarmos o bem em qualquer que seja a situação,procurando respeitar a todos inclusive a quem por uma razão ou outra(que nem precisamos conhecer) nos julgue um adversário.Cedo ou tarde cairá sozinho na própria armadilha.
Os desafios fazem parte da vida de todos,mas nem por isso é necessário ver o próximo como um inimigo.Só renunciando aos rancores e ressentimentos se pode vencer!

Comentários

EDER RIBEIRO disse…
Bergilde, concordo plenamente com tudo no post. Agregar trás mais benefício do que a simples competitividade. Bjos.
✿ chica disse…
Foste novamente brilhante ao falar desse tema. Inveja é um sentimento tão mesquinho, mas infelizmente, tão arraigado na nossa sociedade.. Pena!

Nem sempre é fácil ignorá-la; Não nos deixar atingir...

Não somos santas e de repente, dá vontades e vontades de muito mais coisas quando nos deparamos quem nos inveja e nada faz pra conseguir o pouco que temos. Isso dá uma gana!!!


Muito legal e bem reflexivo teu texto! beijos,tudo de bom,chica
Mona Lisa disse…
Para mim a competição é saudável quando serve de parâmetro para atingirmos os nossos objectivos e crescimento pessoal(sem prejudicar ninguém). Ao descobrirmos o que falta em nós aperfeiçoamo-nos e alcançamos resultados positivos.

No entanto devemos compartilhar esses conhecimentos com colegas , trabalhando deste modo em equipa saudável.

Um texto que leva à reflexão!

Beijinhos.
Jota Sena disse…
Olá Bergilde!

Suas colocações foram muito bem elaborada, em se tratando de um assunto complexo,deu para entendermos sua maneira de ser... Eu costumo dizer, que todo o ser antes de entrar em uma competição, deve ele se alto avaliar, para não cometer falhas com os demais; e por que não dizer, ser injusto com ele mesmo.

Abraços e ate mais.
Edna Lima disse…
Inveja sempre existiu e em tempos atuais em parece virar modismo.
E às vezes é difícil perceber de quem está perto de nós.
Beijos. Edna
Bom dia Bergildes!
Obrigada pela presença e comentário em meu blog.
Por favor envie-me seu link para eu poder entrar como seguidora sua.
Parabéns pelo texto e tema.
A inveja demonstra a pequenez de alma de quem assim o é.
abração com carinho
Tucha disse…
Concordo com vc. Um pouco de competição é estimulante mas fazer disto o centro da vida e "jogar sujo" para poder ganha é inaceitável.