Pular para o conteúdo principal

Coragem para poder continuar...

Retornando às postagens no blog e visitas aos amigos após várias semanas distante daqui. Agradeço imensamente pelo carinho recebido através das mensagens por email e redes sociais.Saibam que a recíproca é verdadeira e que não foi fácil para mim ficar afastada destes registros.
Assim, durante a estada no Ceará foi possível rever várias pessoas queridas- além dos familiares,amigos que há muito tempo não via.
Uma amiga dos tempos de infância me surpreendeu não somente pela sua aparência  pouco transformada ao longo de quase trinta anos sem nos encontrarmos.No nosso recente encontro a percebí muito mais alegre e de bem com a vida apesar das grandes dificuldades  passadas ao longo de todos estes anos.O exemplo dela,além de vivências pessoais e familiares me fizeram refletir e perguntar como é possível que algumas pessoas consigam enfrentar a vida com muito mais leveza e graça do que outras? 
Certamente não é uma pergunta com resposta fácil e objetiva,porém acredito que a experiência do sofrimento possa servir também como fator de crescimento pra vida da gente.  Uma idéia apreendida por meio de inúmeras e diferentes leituras como a recente do livro O poder de decisão do monge beneditino Anselm Grün que afirma que podemos optar sempre e em cada ocasião pela alegria.Fazendo isto não signfica que estamos renunciando aos sentimentos negativos,todavia relativizando os mesmos.Nós é quem somos responsáveis pelos sentimentos que permitimos e  nos deixamos modelar.Segundo o autor frequentemente o desprezo que porventura recebemos de alguém é fruto exatamente da projeção dos complexos e problemáticas da própria pessoa em relação a nós. Seguramente focar esses limites nos nossos relacionamentos é importante porque nos ajuda a perceber a realidade de modo diverso,não nos sobrecarregando com sensações ruins.Sobretudo,nos recorda que nosso objetivo não deve ser receber sempre e em todo lugar a aprovação dos demais,contando muito mais aquilo que nos liga ao eterno,ao nosso Criador.
Simples não é esta capacidade de encarar a vida e os nossos semelhantes,requer muita disciplina e disposição para perdoar e aceitar as pessoas como elas são e não como gostaríamos que fossem.Parece fácil quando quem nos fere são os ciúmes alheios e as fofocas,por exemplo.Difícil é quando caímos numa cilada sem que ninguém a tenha armado,os chamados' golpes do destino'.Pensando nos desempregados,naqueles que sofrem separações ou terríveis doenças.Quão forte é a dor e quão frequentemente ela nos conduz a grandes verdades! 
O sofrimento nos marca por dentro e também por fora ao longo do nosso percurso terreno.Quem é que nunca conheceu alguém cronologicamente até jovem mas profundamente envelhecído ou alguém de idade já avançada com semblante muito jovem?Não pretendo entrar no mérito da questão,apenas dizer que se pode enfrentar com responsabilidade e fé os momentos duros sem criar rugas na alma.Sofrimento passa,mas a lembrança de ter sofrido jamais passará e pode ser vantajoso se tivermos sido capazes de melhorar não para os outros,mas para nós mesmos,conseguindo desse modo responder com bravura às provocações da dor.
O tempo alivia nossos fardos naturalmente,contudo,somente nós temos o comando para elaborá-los e transformá-los em algo a nosso favor,em ocasião  de crescimento.Como? Confiando plenamente no nosso Criador.Quando conseguimos nos livrar daquele senso de onipotência,das tentações do poder em querer controlar todas as coisas,desvinculando nosso coração de qualquer tipo de condicionamento egoísta,receberemos luz e toda ajuda que nos serve.Não devemos temer os desafios,nem jamais desistir deste propósito.
Todo dia recebemos inspiração,cabendo a nós saber colher e acolher as lições de modo sereno e ao mesmo tempo seguro para o nosso bem viver.
                                                               Com afeto,

Comentários

✿ chica disse…
Bergilde, bom te ver voltando e trazendo belas e profundas reflexões. A aparência de algumas pessoas parece não mudar com o tempo, outras mostrar mais idade do que tem. Assim é a vida. Além da genética, influi como podemos levar avida. Se mesmo com rugas , aparência mais envelhecida ,mas sem rugas no coração, melhor! Lindo te ler! bjs,chica e linda semana!Bom recomeço pra ti e crianças,na volta às aulas.
Bergilde que bom que voltou! Fiquei muito contente ao te ver em minha casinha, e você voltou com tudo amiga, que excelente reflexão, saber levar a vida com um sorriso não importando os problemas que carregamos realmente é muito sábio e não depende de prática não, senão seria hipocrisia por detrás do sorriso estaria uma alma triste.
Levar a vida com um sorriso é valorizar tudo o que temos a nossa volta e perceber que os problemas são pequenos demais diante do Tudo do Todo, com o tempo e paciência, tudo sempre se ajeita,e o que não tiver solução temos que aprender a conviver do jeito que é, sempre será oportunidade para esmerilharmos nossa alma,bjos Luconi desculpe eu falo demais
Mona Lisa disse…
Que bom ter-te de volta!

Mais um magnífico texto que nos deixa a reflectir.
O importante na vida não é o aspecto exterior, mas sim o interior.

Beijinhos.
Edna Lima disse…
Olá Bergild. Adorei o texto. Apesar do motivo que te trouxe a cidade natal, foi proveitoso.
Em assunto de reencontrar pessoas que ha muito tempo não vemos eu amo tudo isto.
Vez em quando acontece comigo.E é muito bom.
Bom te ver de volta.ando ocupada com atividades no campus.
Saudades. Beijos. Edna.
Pérola disse…
Que a vida te sorria sempre.

Beijinhos
Luma Rosa disse…
Eeeeeeeeeeeeeeeeeee mas esse blogue tá lindo!!
Li um post hoje no blogue da Letícia que fala sobre responsabilidade e acho que tem a ver em como evitar sofrimentos desnecessários. Se você é uma pessoa responsável, será mais pontual para resolver seus problemas, ao contrário daquelas pessoas que passam a metade da vida remoendo um problema e deixando para lá. Temos que ser responsáveis também com os nossos sentimentos. As pessoas alegres demoram para envelhecer. Já o sisudo, por viver com a testa franzida e a boca cerrada, a expressão facial vai logo caindo... Lógico que a genética influencia. Vê que tem famílias felizes, famílias complicadinhas, outras muito sérias... Somos fruto do meio! (rs*)
Feliz por ter retornado à blogosfera!
Beijus,
Élys disse…
Bom reencontrá-la com um texto maravilhoso em que se pode refletir para levar uma vida com mais paz. Acreditar verdadeiramente em Deus, sabendo que nos acompanha em todos os momentos e nunca nos desampara ajuda muito a nossa caminhada. Um grande abraço,
Élys.
Anne Lieri disse…
Oi Bergilde! Saudade de vc e das leituras em seu blog! Um texto com muito a pensar e discutir. Cada pessoa tem uma maneira de encarar a vida. Uns sofrem com simples espinho no dedo,outros passam sorrindo com uma faca no peito...bjs e bom fim de semana,
Encantou-me a visita e as palavras carinhosas. Estava com saudades dos seus artigos aqui.São sempre bons momentos de cultura e de aprendizagem.

O sofrimento não é desejável por ninguém,mas algumas pessoas enfrentam-no de forma bastante positiva e dão-nos lições de grande nobreza.
✿ chica disse…
Bergilde, voltei pra te agradecer o carinho por lá! Tudo bem? Como andam as coisas? Crianças retornaram as aulas, né? beijos,tudo de bom,chica
Anne Lieri disse…
Bergilde, voltando pra agradecer sua visita e saber se está bem. Bjs,
Querida amiga

Às vezes as palavras
se escondem em nossas vidas.
Então,
saímos em busca de inspiração
nos lugares onde a amizade
se faz preciosa,
(lugares como este)
pois são os amigos
que guardam as melhores
palavras de nossa vida,
para nos devolver e inspirar
quando estivermos distantes
de nós mesmos...

Obrigado por sua generosa amizade...