Pular para o conteúdo principal

A vizinha aperreada e o pé de jambo

*Reprodução das minhas histórias de infância desenhada
 pelo meu filho Francesco-9 anos 
Na rua onde morávamos tinha um lindo e grande pé de jambo.
Meninos e meninas se divertiam tanto embaixo como subindo nos galhos dele. 
Certa manhã estávamos todos de férias jogando de carimba(bola queimada na língua cearense) na frente de casa e uma vizinha abriu a sua janela furiosa dizendo pra gente não fazer tanto barulho.
Então,guardamos a bola,pegamos patins e bilas e fomos outra vez pra rua.A mulher abriu novamente a janela e continuou a reclamar da nossa barulheira.Aí substituímos os brinquedos por uma grande corda e fomos pular à sombra do pé de jambo.Fazia muito calor e a mulher também resolveu sair pra aguar a calçada.Quando nos viu ali pertinho felizes e despreocupados recomeçou a esbravejar dizendo que assim já era demais pois estávamos bloqueando a rua...Foi aí que a corda batendo nos pés dela,obrigou-a praticamente também a pular como se estivesse participando da nossa brincadeira.Isto a rendeu ainda mais irritada,tanto que começou a rodopiar em torno de si mesma com a corda que se enrolava às suas pernas quase derrubando-a no chão.
A meninada e todos os passantes naquele momento não puderam conter a gargalhada.
Muito tempo depois do acontecido a vizinha mudou de endereço e o jambeiro foi abatido pela modernidade,deixando naqueles meninos muitas lembranças.

Comentários

✿ chica disse…
Que legal ler essas lembranças...Vale até as da vizinha chata que quase brincou forçadamente junto ,perigando se estabacar toda ao chão,rs Credo! tem cada uma! Mas as lembranças ficam. Lindo te ler! bjs, chica
Mona Lisa disse…
Adoro estes textos de memórias que nos fizeram felizes.

Fizeste-me rir. Foi pena terem cortado o jambeiro.

Beijinhos.
Querida amiga

Certamente lembranças inesquecíveis,
preciosas e valiosas,
guardadas para sempre
nas máquinas digitais
do coração.

Um imenso abraço.

___________________________

Gostaria de convidá-la a ler
as postagens do blog
www.semvoceeunaoseria.blogspot.com

Nele estou publicando as primeiras
páginas de um novo projeto de livro
com músicas e poemas sobre músicas,
e como sempre,
sua opinião é para mim
deveras valiosa.


Aluísio Cavalcante Jr.

Luma Rosa disse…
Oi, Bergilde!
Aguar a calçada? A vizinha era mesmo doida de pedra! (rs*) Mas é engraçado como cada bairro tem um adulto a atazanar a vida das crianças!
Beijus,
Julia disse…

Me ha encantado tu bloc te espero esta semana con un post que va de platos, para decorar, para presentar i para comer, en elracodeldetall.blogspot.com
Carmem Grinheiro disse…
Olá, Bergilde.
As nossas memórias de infância são nossos tesouros e dos mais bem guardados.
Mas sua vizinha não devia ter o juízo todo bem medido, minha amiga, credo!
Há sempre gente desorientada, que, inconformada com sua própria sorte, faz questão de desorientar a vida dos outros, mesmo a serem crianças felizes - vossa sorte!

* Você tem por sua conta um artista, seu filhote, para ilustrar suas postagens - maravilha =)
bjn amg
Recordar é Viver!
Yessssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss
Viva La Vida!
Tucha disse…
Gostoso texto das recordações da infância, os filhos devem gostar dessas história. E a vizinha coitada, tão mal humorada, uma pena deixou de divertir-se.
Tucha disse…
Gostoso texto das recordações da infância, os filhos devem gostar dessas história. E a vizinha coitada, tão mal humorada, uma pena deixou de divertir-se.
Pérola disse…
Tenho de ir pesquisar o que é um jambeiro...

Beijinhos
Menina que recordações deliciosas, e que mulher encrenqueira, criança tem que brincar mesmo, ainda mais aonde tem espaço, arvores, o ambiente apropriado e antigamente era bem mais seguro, hj em dia não temos mais isto, pelo menos quem não mora em interior, belas lembranças, bjos Luconi
✿ chica disse…
Adorei te ver por lá e bom retorno das férias e logo, ao blog! bjs, chica